segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017

Escotismo no RN

Por mais de 99 anos, os Escoteiros do Brasil - Região do Rio Grande do Norte (UEB-RN) tem contribuído para o desenvolvimento da juventude brasileira, estimulando em crianças e adolescentes a formação de seu caráter e atitudes cidadãs, por meio de um método de educação não-formal consagrado mundialmente. O Movimento Escoteiro acredita que um futuro mais humanizado e sustentável para nossa sociedade, depende da forma como educamos e garantimos os direitos de nossos jovens.
Atualmente, o Escotismo Potiguar conta com cerca de 10 mil jovens vivenciando a prática do escotismo em quase 60 Grupos Escoteiros espalhados por todo o Estado. Participam do Escotismo crianças e jovens dos 07 aos 21 anos divididos por faixa etária, de ambos os sexos e quaisquer origens sociais, raças ou crenças.
Acreditamos que uma das formas de apoiar os objetivos do Escotismo, é através da realização de “parcerias com empresas privadas, organizações públicas e do terceiro setor, tendo prioridades os projetos e programas de educação não formal e a promoção de fóruns, seminários, oficinas e atividades divulgando e conscientizando o conteúdo do ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente).” 
Da mesma forma, está descrito em nossa base educativa que “pedimos aos jovens que incorporem a valorização dos direitos humanos a seu modo de pensar e as suas atividades (...) a proposta é que reconheçam e exerçam o poder e a autoridade sempre, a serviço do bem comum.” 
Como parte do maior e mais antigo Movimento de Juventude do mundo, os Escoteiros do RN tem o compromisso de ajudar na proteção e garantia dos direitos da infância e da juventude brasileira, onde quer que ela se encontre, sejam eles associados ou não. Sendo assim, esse projeto tem como objetivo contribuir para que as crianças e jovens desenvolvam, através da vivência da metodologia e atividades escoteiras, as habilidades necessárias para se tornarem pessoas responsáveis e úteis em suas comunidades, conhecendo e exigindo que os seus direitos sejam preservados.

Nenhum comentário:

Postar um comentário